GERAL

Eleitores com títulos cancelados por não realizar biometria poderão votar nas eleições municipais
Em Schroeder pouco mais de 2,5 mil eleitores tiveram o título cancelado. Hoje, o município tem 13.330 eleitores.




No dia da eleição não será coletada a biometria. Foto: Divulgação

Um ano completamente atípico no mundo e com eleições municipais para movimentar a política em Schroeder. Apesar da pandemia, o pleito eleitoral está mantido e a corrida pelos lugares na Prefeitura e na Câmara de Vereadores iniciam oficialmente no final de setembro, com o início das campanhas eleitorais.

A data da eleição foi alterada, a campanha na internet foi regulamentada e, além dessas mudanças, os eleitores que tiveram o título cancelado por não realizarem o cadastro biométrico poderão, excepcionalmente, participar da escolha dos novos representantes municipais.

O chefe da 17ª Zona Eleitoral, Eduardo Arbigaus, explica que a medida excepcional foi tomada em razão da pandemia e da não utilização da leitura biométrica nestas eleições, mas ressalta, também, que os eleitores precisam regularizar a situação após a votação.

“Em virtude da pandemia, o TSE reverteu o cancelamento exclusivamente para essa eleição. Após a eleição, deverão procurar o cartório para regularizar a situação”, salienta. Em Schroeder pouco mais de 2,5 mil eleitores tiveram o título cancelado. Hoje, o município tem 13.330 eleitores.

Além disso, Arbigaus explicou que, entre as novidades das eleições neste ano, as principais são: o fim das coligações nas eleições proporcionais, a campanha regulamentada na internet e a alteração na data das eleições, que tradicionalmente ocorrem em outubro e, neste ano, estão marcadas para o dia 15 de novembro em virtude da pandemia.

“Além disso, no dia da eleição não será coletada a biometria. Aqui em Schroeder tivemos essa coleta na última eleição, mas não teremos a coleta desses dados”, diz.

Outra alteração importante que diz respeito aos candidatos é a criação do fundo especial de financiamento de campanha. Nestas eleições, além do fundo partidário nacional, os candidatos terão o fundo especial, destinado exclusivamente às campanhas.

Início do período de campanha

E as campanhas, ressalta o chefe da zona eleitoral, só começam, de fato, no dia 27 de setembro. Arbigaus chama a atenção dos pré-candidatos com as orientações para evitar dor de cabeça.

Ele explica que a efetivação da candidatura só acontece após as convenções dos partidos, que ocorrem durante as próximas semanas, e após a aceitação do cadastro do candidato. Qualquer campanha realizada antes desse prazo pode gerar multa e pedido de candidatura cassada.

“É importante destacar que a campanha eleitoral inicia após o registro desses candidatos, os pré-candidatos só podem fazer a campanha, exclusivamente destacando que são pré-candidatos, sem fazer pedido de votos, ou ficar lembrando ‘conto com seu apoio, conto com a sua ajuda’, isso pode ser interpretado como pedido de voto antecipado”, fala.

A campanha começa no dia 27 de setembro e já neste dia iniciam os programas na TV, rádio e internet.





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM