GERAL

‘Movimenta Manu’ quer arrecadar recursos para tratamento de garotinha em Schroeder



Dois anos de amor, dedicação e superação. A história da pequena Emanuelle Sofie pode ser resumida nessas três palavras. Uma história na qual ela emana e distribui amor, se dedica e vê a dedicação da família e se supera a cada dia que passa.
 
Manu, como é carinhosamente chamada, é portadora de paralisia cerebral detectada ainda nos primeiros meses de vida.

A garotinha nasceu prematura, de 32 semanas após uma gestação de risco e, em dois anos, tem lutado e evoluído para orgulho e alegria dos pais, Fabio Alceu e Ritieli da Rosa Kronbauer.
 
Devido a paralisia, Manu tem uma “rotina de atleta” como brinca o pai. Como toda criança, Manu precisa ser estimulada e somado a isso, precisa passar por tratamentos específicos, como fisioterapia e terapia ocupacional, fundamentais para auxiliar no desenvolvimento motor, prejudicado pela paralisia.
 
Hoje, conta Fabio, Manu faz fisioterapias neuromotoras, mas precisa complementar o tratamento com: fisioterapia especializada, estimulação visual, fonoaudiologia e terapia ocupacional, além de precisar de talas para fortalecimento e apoio dos braços e pernas, prótese ortopédica para os pés, medicação anticonvulsão e aplicação de toxina botulínica nas pernas e braços. Além da paralisia, Manu tem síndrome epiléptica grave da infância.
 
Tratamentos caros e necessários. Para viabilizar o melhor para a filha, os pais de Manu criaram uma vakinha virtual (www.vakinha.com.br/vaquinha/movimenta-manu), com o objetivo de arrecadar recursos para custear o tratamento.

A meta é arrecadar R$ 50 mil e, até quinta-feira (11), a página havia conseguido somar pouco mais de R$ 6 mil.
 
O pai comemora as vitórias da filha nestes dois anos. “Ela consegue rolar, pegar brinquedos, passar de uma mão para a outra, jogar beijinhos que ela adora, balbuciar mãe, pai”, conta. Para a família, cada novo movimento, cada nova descoberta é uma vitória, um orgulho e uma alegria.

“Mesmo não conseguindo falar, nos conectamos com a Manu com um olhar, um gesto. Os gemidos e vocalizações, transmitem em sentimento o que as palavras não são capazes de dizer. Poder acordar de manhã e ver aqueles olhinhos brilhando, um sorriso no rosto e um ‘oie’ é motivo para renovar nossas energias e seguir estimulando, amando e doando nossa vida em favor desta pequena vida que tem pressa, tem vontade e muita força para viver e ser feliz. Essa felicidade ilumina nossa vida e nos dá a força necessária para seguir em frente”, diz.


Para contribuir com o tratamento e desenvolvimento da Manu, basta acessar o site vakinha.com.br (www.vakinha.com.br/vaquinha/movimenta-manu), procurar a campanha “Movimenta Manu” e realizar a doação do valor que desejar.

Confira um vídeo em que o pai tenta estimular Manu a ficar sentada:

 
 





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM