EDUCAÇÃO

Schroedense é finalista da maior feira de ciências do mundo




Projeto de Gustavo Klock Neideck foi selecionado como finalista na maior feira de ciências do mundo. Foto: Arquivo

A agricultura familiar é um dos setores fortes da economia de Schroeder e de toda a região do Vale do Itapocu. São centenas de famílias que mantém a produção abastecendo não só o Norte do Estado, como escoando culturas diversas por Santa Catarina. 

Pensando na importância da atividade, o jovem estudante Gustavo Klock Neideck desenvolveu um projeto promissor. Tão promissor que, depois de participar da Febrace (Feira Brasileira de Ciências e Engenharia), foi selecionado como finalista na maior feira de ciências do mundo, a Isef (International Science and Engineering Fair). 

O schroedense desenvolveu, quando ainda fazia o curso técnico em agropecuária integrado ao ensino médio do IFC (Instituto Federal Catarinense) em Rio do Sul, o TaipaEstock. O nome é difícil, mas o resumo é simples: armazenamento de grãos utilizando taipa de mão. 

Ele explica que o projeto, nada mais é, do que um protótipo de galpão com o objetivo de armazenar grãos utilizando um sistema que consegue, através das paredes, reter a umidade do ar. Com isso, o espaço se torna propício para o armazenamento de grãos. “Além de eficiente, o protótipo é extremamente barato e biodegradável”, salienta. 

Etapas da construção do protótipo de galpão do projeto TaipaEstock. Foto: Arquivo 
 
O estudante, que agora cursa faculdade de Direito, conta que a inspiração veio dos pais e de tantos outros que vêm da agricultura familiar. “Uma das problemáticas que esses profissionais enfrentam é no período pós safra. Essa é a época do ano onde eles devem vender os seus produtos agropecuários. Pela lei da oferta e demanda o preço destes produtos acaba caindo significativamente, o que torna instável a presença dos agricultores no meio agrário”, diz. 

Um projeto que ajude a potencializar a produção, minimizando os riscos e diminuindo os custos, ajudaria a tornar o período menos turbulento para os agricultores rurais e, esse foi o grande trabalho de Neideck. 

De Schroeder para a maior feira de ciências e engenharia do mundo 

A ideia agradou e muito. Depois de participar da Febrace, que aconteceu de maneira virtual neste ano devido à pandemia do coronavírus, o trabalho do schroedense foi selecionado para a Isef, maior feira do setor.  

Ele conta que, anualmente, apenas 18 projetos brasileiros são selecionados para o evento internacional. Neste ano, o TaipaEstock era um deles. 

“Para mim, era algo muito distante. Nunca imaginava que seria possível conquistar este feito. Avalio como uma grande conquista pessoal. Consegui fazer ciência com pouco e me destacar muito”, diz. 

Mas, a viagem para a Califórnia, onde aconteceria a Isef, não pôde acontecer. O evento foi cancelado, mas, em contrapartida, os finalistas participarão de programas virtuais e todos receberam certificados como finalistas da maior feira do mundo.  

Além disso, a Febrace irá lançar um edital a fim de selecionar estudantes para ter uma imersão em inglês nos Estados Unidos. “Com toda certeza irei dar o meu melhor no edital, pois para mim esta é uma oportunidade única e inimaginável”, garante. 

O futuro ainda está sendo desenhado pelo, agora, estudante de Direito, mas a paixão pela ciência e pela pesquisa não ficaram no Ensino Médio e Técnico, ele garante. “Pretendo continuar projetos científicos, agora no meio jurídico”, finaliza. 

Gustavo foi aluno das escolas Emílio da Silva e Miguel Couto. Ele mora com a mãe, a professora Inês Kloch, e os irmãos no bairro Centro-Norte em Schroeder. O pai do jovem é agricultor e vive em Rio do Campo, na microrregião de Rio do Sul. 





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



EDUCAÇÃO  |  11/08/2020 - 13h





EDUCAÇÃO  |  27/07/2020 - 15h


EDUCAÇÃO  |  23/07/2020 - 15h