GERAL

Associação Paradesportiva apresenta trabalhos no Legislativo em Jaraguá do Sul

O coordenador técnico e um dos sócios fundadores da Associação Paradesportiva Jaraguaense, Rafael Loth, usou a tribuna da Câmara Municipal de Jaraguá do Sul nesta quinta-feira (7) para apresentar aos vereadores os trabalhos realizados pela instituição no município.

Também estiveram presentes o coordenador técnico Wanderlei Gesnner e a presidente da entidade, Carline Feldmann. O requerimento para a participação deles foi do vereador Jonathan Reinke (Podemos).

Criada em 2019 por profissionais de educação física e pais de pessoas com deficiência, a APJ atua na promoção e incentivo do paradesporto em Jaraguá do Sul.

Atualmente, a entidade mantém dois projetos: o Paradesporto na Escola, que vai às unidades de ensino municipais levar o esporte às crianças deficientes com idade a partir dos 6 anos e apoiar os professores de educação física no desenvolvimento de atividades para esses alunos; e o Paradesporto para a Vida, que atende a pessoas a partir dos 16 anos de idade e tem o objetivo de levá-las a competições, incentivando-os, dessa forma, a desenvolver o seu potencial.

A intenção dessas iniciativas é tanto a de levar o lazer esportivo para esse grupo de pessoas, quanto para incentivá-las num objetivo profissional no paradesporto.



O coordenador técnico e um dos sócios fundadores da Associação Paradesportiva Jaraguaense, Rafael Loth, usou a tribuna da Câmara Municipal de Jaraguá do Sul nesta quinta-feira (7) para apresentar aos vereadores os trabalhos realizados pela instituição no município.

A Associação hoje conta com 48 atletas e 5 professores, atuando nas modalidades futsal, atletismo, ciclismo, natação, bocha paralímpica e bocha de cancha. São 4 deficiências atendidas na APJ: a intelectual, a física, a visual e o autismo.

Na diretoria da entidade há 12 membros, todos eles têm alguma deficiência e todos são voluntários, assim como os professores.

Segundo Loth, isso é feito para dar protagonismo aos deficientes. “Porque são eles que sabem o que é melhor para a entidade e para eles próprios”, destaca.

O vereador Reinke afirmou que é de total importância lutar pela inclusão das pessoas com deficiência na sociedade. “Eu tenho uma irmã com deficiência e eu sei o quanto é difícil. Ainda nos dias de hoje a gente acaba encontrando preconceito. Os pais escondem as pessoas com deficiência dentro de casa e o que o projeto tem feito é bater na tecla da inclusão. E nada melhor do que o esporte, é o melhor canal para isso”, frisou.

O parlamentar lembrou da sua indicação de uma bolsa paradesportiva no município. Ele afirmou que já se reuniu com a secretária de Cultura, Esporte e Lazer, Natália Petry, e obteve uma resposta positiva sobre a sugestão e que em breve a ideia pode se tornar realidade.

Contato da APJ:

O contado com a Associação Paradesportica Jaraguaense – sejam entidades e empresas que quiserem fazer parcerias ou pais de deficientes que queiram saber mais sobre os projetos – pode ser feito pelo telefone (47) 9 9115-1031, para falar com a professora Cláudia, ou pelo e-mail paradesportivajgua@gmail.com. A sede da APJ fica nos fundos da Cafeteria Bem-me-Quer, na Rua Walter Marquardt, no bairro Vila Nova.





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM