COLUNISTAS

Vamos falar Direito | Tenho uma dívida e não paguei. O que pode acontecer?

Em alguns momentos, a crise é tamanha que podemos nos perder em meio às contas e pendências.

Algumas pessoas acreditam que não precisam se preocupar em quitar seus débitos e que um dia eles poderiam deixar de existir.

Mas, caso você tenha adquirido uma dívida que tenha deixado de ser paga (ou assinado na condição de avalista), como por exemplo um empréstimo bancário ou particular, ou deixado de pagar tributos, podem surgir consequências, mesmo depois de alguns anos.

É importante lembrar que após 05 (cinco) anos a dívida deixa de aparecer nos órgãos de proteção de crédito e no seu score, mas isso não significa que ela deixa de existir.

Pelo contrário, poderá acumular juros, multa e correção monetária, e resultar em um valor muito maior do que o originalmente assumido.

As instituições bancárias possuem suas próprias listas com dados fornecidos pelo Banco Central, e essa pendência pode interferir até mesmo em um futuro financiamento, exigindo juros mais altos, avalista, bens em garantia etc.

Como regra, os credores dos débitos tem o prazo de 05 (cinco) anos para o ingresso de uma ação judicial de cobrança.

Caso tenham respeitado esse prazo, o processo pode seguir por muitos e muitos anos, só deixando de existir se os valores forem quitados, negociados ou satisfeitos.

No decorrer desse processo, podem ocorrer restrições e penhoras, sendo as mais comuns em automóveis, imóveis e contas bancárias.

Caso você receba uma intimação judicial (ou citação), sempre procure um profissional de confiança, que poderá buscar formas de resolver a situação.

Portanto, jamais ignore uma dívida! Ela pode ficar muito mais cara e gerar incômodos e prejuízos muito maiores.

HAIDE HERTEL, advogada inscrita na OAB/SC 43.088, com escritório profissional em Schroeder/SC.
Telefone: 99197-3455.
E-mail: advocacia@hertel.com.br







COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



COLUNISTAS  |   11/10/2021 10h44





COLUNISTAS  |   20/09/2021 07h43